BALADA DO AMOR E DO SONHO

Tens-me aqui ao teu lado. Escuta esta canção
que eu fiz, pensando em ti, sob a luz das estrelas,
enquanto o mesmo doido anseio de colhê-las
todo me penetrava o inquieto coração.
A vida é mesmo assim... Ninguém vive feliz,
sem a glória do amor e a beleza do sonho.
Quando me vês passar, quebrantado e tristonho,
com os olhos te dizendo o que a boca não diz,
depois de uma traição qualquer do meu destino,
Embora à luz do sol - sem teu riso divino,
teu beijo e teu olhar! - como eu sou infeliz!

Um amor que se acaba é um sonho que findou...
Vive às vezes, num sonho, o encanto de uma vida.
Nossa alma fica mais, muito mais dolorida,
quando perde, afinal, o que nunca alcançou.
E o sonho é sempre assim como oculta raiz
que ainda de pé mantém, no deserto que espanta,
a árvore em cuja fronde uma ave só não canta,
nem mais um fruto o beijo áureo do sol bendiz...
Alimentemos, pois, nosso sonho encantado!
Estando ao lado teu - e tendo-te ao meu lado,
eu me sinto feliz! eu te vejo feliz!

Que viva eternamente o nosso grande amor,
iluminando o sonho ingênuo, que me embala,
de uma estrela roubar ao céu - e colocá-la
na nossa estrada, como a estrela do Pastor!
Ela nos levará, excelsa flor-de-lis,
ao reino de ouro e azul dos divinos eleitos,
onde havemos de ser mais puros e perfeitos
- o coração sem mancha, a alma sem cicatriz -
entre lírios, sonhando... A vida mansa e quieta.
Tu me dirás, sorrindo: - Eu sou feliz, meu poeta!
Cantando, eu te direi: - Meu amor! sou feliz!