EPÍLOGO

Foi um raio de sol na minha vida
este amor, que se fez o meu tormento,
quando, ali, na alameda ampla e florida,
disseste adeus, baixando o olhar nevoento...

Hoje, emoções inéditas invento
para esquecer a história dolorida
desta paixão, que é glória e sofrimento,
desventura e esplendor, queda e subida!

Tristonho amor feito de rosa e espinho,
que a tua sombra, na existência louca,
não volte, nunca mais, ao meu caminho.

Não pude, ao menos, no final ensejo,
gravar, com esta saudade, em tua boca,
a magoada lembrança do meu beijo!