ARTISTA

Gosto das cousas límpidas e raras,
que enchem de encantamento os meus sentidos
Raça! não me entorpecem tuas taras:
sou um grego dos tempos esquecidos...

Cercado embora de ferrenhas caras,
de almas e corações empedernidos,
adoro os céus azuis e as águas claras,
cujos sons adormecem meus ouvidos.

Cultivo ideias e apascento estrelas.
Jardineiro e pastor – em sonhos e ânsias,
procuro, no meu cérebro, acendê-las.

Podeis rugir, ó bárbaros! Dispersos,
no meu jardim de excelsas rutilâncias,
eternamente cantarão meus versos!