JOGOS DE LUZ E SOMBRA

O pequenino sol da lâmpada pendente
doura a noite longa do meu quarto.

Minha sombra se reflete,
em proporções enormes,
em traços anatômicos disformes,
na tela branca da parede.

E toma feições esquisitas,
enquanto minha cabeça vai e vem,
ao balanço da rede.

Escancaro a janela - e áureo rasgão de luz
se abre no lençol da noite negra.
E logo a minha sombra se estende na calçada
dentro da moldura de sombra
da janela iluminada...

Perscruto o silêncio - e tenho medo!

Vagam visões cabalísticas na noite compacta
que me seduz
e que me assombra,
com os passes de mágica da luz
e as mandingas fantásticas da sombra...