CONCÍLIO POÉTICO

"Luar, luar
traz pão com farinha
pra dar aos pintinhos
que estão presas na cozinha."
      (Do folclore nordestino)

Os poetas vão deixar a lua.
Reunidos em concílio
decidiram abandonar para sempre
o astro romântico,
que governaram, por séculos e séculos,
como soberanos absolutos.

Lá ficarão apenas São Jorge sem espada
e o seu cavalo exausto,
à espera do Pégaso automático...
A lua já não tem sequer farinha
(aquela farinha branca e luminescente
que víamos cair do céu
                quando meninos)
para dar aos pintinhos
que estão presos na cozinha.
Vão deixá-la os poetas
entregue à própria sorte,
como coisa inútil vagando pelo espaço,
                a distância.
A lua não serve mais para nada.
A não ser de base para armas nucleares
que poderão, talvez, destruir a terra,
                os poetas
                e a infância.