MARINHA EM NEGRO

Sobre as vagas
pressagas
em sobressalto
— vem a jangada
abandonada
do mar alto!

— Não há peixes no samburá!

Só os restos da tormenta
nas sombras da noite má.

Onde os gritos dos jangadeiros,
em luta com o velho lobo
a rugir sinistramente
nas sombras da noite má?
Não há peixes no samburá.

Corre o vento
violento
pela praia,
sobe o morro.
Vai uivando...
Leva um segredo:
— Socorro!

Vento lúgubre,
soluçais
toda a dor que vem do mar alto
na jangada
abandonada
nas sombras da noite má.
— Não há peixes no samburá!...