O MURO

Um - dois - três!
Pensamentos e ideais
dissolvem-se no ar.
Para sempre.

Relógios de músculos
param
Para
sempre.
Balas acertaram
no coração da primavera.

Tombam corpos cálidos,
lábios em flor,
peitos abertos,
sangue escorrendo,
junto ao muro,
para sempre.

Um - dois - três!
As bocas se fecharam
para sempre.
Todos emudeceram
definitivamente.
Para sempre.
- Ninguém mais falará!
Mas o muro fala,
o muro grita,
o muro clama
por um mundo melhor.

O muro é imortal.