BEM AVENTURANÇA

Muitos sonhos espalhei
pelos caminhos.
Muitos ritmos acordei
nas coisas e nas criaturas.
Muitos versos ofertei
aos famintos de ilusão.

Fui peregrino de surrão aberto:
o que levava para o meu sustento
deixei cair sobre as pedras da estrada,
mas prossegui cantando,
cantando,
em altas vozes interiores,
— o hino da fraternidade e da renúncia
na bem aventurança da Poesia.