LEGENDA

Meu filhinho recém nado,
tão frágil, tão pequenino,
tu hás de ter um bom fado,
um grande e belo destino.

Vendo te no berço, ao lado,
multas cousas imagino,
ante o teu vulto minguado,
ante o teu corpo franzino.

Serás um santo? um poeta?
Com a vida cheia de glória
e a alma de luz repleta?

Desprezo honras, pompas, brilho
Basta-me, na tua história,
esta legenda: Meu Filho!