MÃE

Prova de retrato
sem retoque
esquecida num livro,
como pétala murcha,
triste e sem cor,
que ainda guarda
indefinível,
imperceptível
(mas ainda guarda)
um perfume de flor...

Prova de retrato
tão viva
quanto uma fotografia colorida,
trazes-me, numa idade em que era moça e bela
e tinha olhos claros e lindos,
- olhos que a velhice vai, aos poucos, apagando -,
aquela que foi sempre minha
e de quem sempre fui.
Desde a primeira emoção de amor
             
de que nasci.
Aquela
que está na vida que ela me deu
              em sangue,
              sonho,
              leite,
              poesia
              e alma,
              - minha mãe!
              - minha mãe!