SINFONIA

Vem pela noite um cântico profundo
que parece saído das estrelas.
Rola entre as nuvens como um rio etéreo
de águas azuis em músicas perdido...

Vem pela noite o cântico imortal
que brotou da alma estranha de um poeta
num momento de humana plenitude...
O grande amor da vida! o grande amor!

Agora a lua, as árvores, o vento,
o mar, a noite, a solidão e a treva
estão plenos de sons — e cantam, cantam!

O mundo todo se desmancha em notas
musicais... Porque o mundo se resume
no cântico imortal que vem da noite.