EXORTAÇÃO AO HOMEM PRÁTICO

Homem prático,
que passas correndo pela rua,
contém o passo - que o teu esforço é inútil.
Olha que eu sigo ao teu lado,
calmo, sereno, devagar,
             com os olhos cheios de paisagens,
             os ouvidos bêbedos de música,
             e a mente enflorada de sonhos...

Vê bem: por mais que te apresses,
por mais que avances,
nunca me vencerás nesta corrida.
Bem sei que és forte - mas eu também sou forte!
Depois, só há um ponto de partida: a Vida.
Só existe um ponto de chegada: a Morte.

E enfim, sobre o caminho percorrido,
tu, homem prático, deixarás apenas
o pó que levantaste do solo
com as tuas passadas estrepitantes.

É eu? Ah! eu deixarei pouco de mim mesmo
            sobre os cardos,
            sobre as pedras,
para tornar mais suave a caminhada
dos que vierem depois de mim...