LAGOA DE IGUATU

Plagiando o mar, no alto sertão, se espraia
a histórica lagoa de lguatu.
Garças desdobram asas de cambraia
sobre seu corpo palpitante e nu.

No tabuleiro que, à feição de praia,
derredor se lhe estende, árido e cru,
o sertanejo, antes que a noite caia,
passa a cavalo como um guaiacuru.

Corta-lhe as águas lépida canoa.
Em marotas febris, palpita e estua
toda a alma enamorada da lagoa...

E em vindo, após a noite, áureo arrebol,
troca os algentes ósculos da Lua
pelos beijos flamívomos do Sol!