MENSAGEM DE ESPERANÇA

Aos heróis da jangada São Pedro
Jangadeiro Cearense!
leva na tua impávida jangada
a mensagem de esperança
do brasileiro do Norte ao brasileiro do Sul.
Conta lhe a tua história alucinante,
a história da tua vida móvel e intensa
sobre um mundo que muda a cada instante
– mundo de águas e águas verdes e revoltas –,
em busca de pão para teus filhos,
para os teus filhos que não têm escolas,
para os teus filhos que não têm brinquedos,
para os teus filhos que não têm saúde...

Conta bem alto o teu drama, jangadeiro,
para que a tua voz chegue ao cimo da montanha.
Mas fala com a voz enérgica das vagas,
com a força e o ímpeto das ondas.
Contempla o Sol de frente,
como um descendente legítimo do Sol.
Se te curvares, seja como a onda:
ela, ao cair, levanta se mais forte,
ruge mais alto, empina se e estrondela.

Pede o que te negaram, jangadeiro,
em século de dor e escravidão,
a ti, que deste, ao Brasil todo,
a luz da redenção.
Se o homem do Sul te ouvir e sentir o teu drama,
como de alguém que possui
o mesmo passado, o mesmo sangue, a mesma Pátria,
poderás chamá lo, enfim, de irmão,
e mesmo, em despedida,
deixar lhe o coração...

Mas se ele se fizer surdo aos teus reclamos,
volta, na tua jangada aventureira, e heróica,
aos verdes mares que ti viram criança,
volta — e vem contar a tua odisséia aos que ficaram.
Volta — e vem recomeçar o teu trabalho insano,
a tua luta titânica e viril,
com a alma cheia, de amargura,
o corpo cheio de cansaço,
e o coração ainda mais cheio do Brasil!

Fortaleza, setembro de 1941.